terça-feira, 23 de março de 2010

sexta-feira, 19 de março de 2010

Agradecimentos

Hoje gostaria de agradecer a todos que estão direta ou indiretamente me apoiando. Tive um dia bastante positivo. Sabe aquela tal de insegurança, que havia falado? A cada dia está indo embora.

Acabei de chegar da faculdade muuuuito feliz. Sabe aquele livro-reportagem? Comecei a escrever e está dando tudo certo. Sabe graças a quem? A Deus em primeiro lugar e a vocês! É sim. A todos os meus amigos, amigas, irmãos, tios, tias, primos, primas, namorado, minha mãe, irmã e tem uma pessoa, que não poderia deixar de fora... Sabe quem é? Não? Meu companheiro que me escuta calado, reclama quando não dou café e brinca quando estou triste. Já sabe quem é? Ainda não?

Então vou dizer, já que você não vai falar. Meu cachorro lindo. É esse mesmo! Branco e marrom, dos olhos claros e sorridente, rs, rs, rs.

Sabe como é o nome dele? Não? Se você é meu amigo deveria saber, não sabe? Malhado Totó...

Achou engraçado, não foi?
Sabe o que ele está fazendo agora? Entediado querendo ir para a rua, de um lado para outro, esperando minha mãe chegar para ele deitar na conchinha dela e dormir.
Agora eu também vou dormir. Amanhã será um lindo dia!

Boa noite para você e um bom final de semana!

quinta-feira, 11 de março de 2010

Momentos meus

Hoje não quero postar um texto jornalístico ou coisa parecida. Quero poder expressar o que realmente sou. Não sei por que, mas me deu uma vontade enorme. Acho que deve ser por causa do TCC.

Sou muito insegura, vivo preocupada com tudo, mas não perco a alegria e a esperança. Escolhi um tema difícil pra caramba para o meu trabalho de conclusão de curso. É um assunto que não interessa a população de um modo geral. Olha eu aí preocupada mais uma vez! Será que consigo desenvolver um livro-reportagem sobre o Parque São Bartolomeu?

Solicitei férias na empresa onde trabalho para tentar adiantar minhas leituras, pesquisa de campo e talvez se der tempo, até escrever o livro. Será que dará tempo? Olha a insegurança!

Hoje fui à faculdade para a quarta orientação com Tânia Motta. Chegando lá, fiquei até mais aliviada com as sugestões indicadas por ela e fui percebendo o quanto tenho muito que escrever. A princípio achei que o tema teria pouca coisa para explorar, mas depois cheguei à conclusão que tenho tanta informação acumulada e não sei por onde começar.

Como me disse Tânia na segunda orientação... eu tenho é que começar tudo do início e dar asas a minha imaginação. Afinal, estou num mundo onde ninguém nasceu sabendo tudo e sempre na vida, teremos algo a aprender.

Fica aqui nessas palavras minhas aflições e interrogações de hoje. Se você leu o texto, deixe sua opinião! Ficarei muito agradecida.

Obrigada e até breve!

Suane Mendonça

segunda-feira, 1 de março de 2010

COMUNICAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES

Um “novo caminho” e uma ótima oportunidade?

Com a concorrência no mercado e a oscilação da economia, as empresas têm buscado qualificar e quantificar as ações internas e externas. Para isso, os seus responsáveis sentiram a necessidade de combinar estratégias de marketing com programas de comunicação que conseguem identificar, antecipadamente, os problemas que podem atingir a empresa e, ao mesmo tempo, estabelecem planejamentos estratégicos para eventuais situações de crise.

Esse “novo caminho”, de utilizar a comunicação como um dos subsídios essenciais para a administração de eventuais crises em uma organização, tem dado certo em várias empresas no Brasil - e fora dele. Como exemplo de empresa que tem utilizado a comunicação para escapar de grandes crises, encontra-se em destaque a Petrobrás, que através de um excelente plano de comunicação pôde reconquistar a credibilidade de seus clientes várias vezes.

A comunicação nas organizações tornou-se definitivamente essencial. Com a nova era da informação, essa modalidade é executada por um grupo de profissionais que compõe o setor de “Assessoria de Comunicação” ou “Assessoria de Imprensa”. Bem estruturadas, poderá, ou não, obter êxito diante de uma situação difícil.

Com a implantação dessas assessorias nas organizações, o mercado para os profissionais da área tem se expandido cada vez mais. Os profissionais das áreas jornalísticas, relações públicas e propaganda e marketing, especializados no ramo, estão com mais oportunidade de inserção nesse mercado. Com a questão da não obrigatoriedade do diploma para a profissão de jornalista, os milhões de estudantes do curso, em todo o Brasil, têm se desestimulado. Nesse sentido, com o crescimento dessa modalidade, a esperança para os futuros jornalistas começou a renovar. Um novo caminho e uma ótima oportunidade! É a frase dita pelos grandes incentivadores da profissão.

Para se inserir nesse ramo, os profissionais, além de qualificados, têm que saber utilizar os diversos meios tecnológicos existentes e necessários para o andamento das ações dentro da empresa assessorada. Além disso, um espaço físico bem definido, com equipamentos como computador, telefone, fax e programas específicos para diagramação dos textos e arquivamento de documentos, tornam-se indispensáveis na execução das tarefas.

Mas, não são somente profissionais qualificados, equipamentos e programas que ajudaram no desenvolvimento de um bom relacionamento entre a instituição, os funcionários e o público externo. É imprescindível a escolha de uma equipe responsável e que tenha compromisso com o social, assim como é necessário, a mudança de comportamento da empresa, se adequando a nova realidade, pois de nada adiantará profissionais qualificados, se a instituição não levar a sério esse trabalho.

Como diz Boanerges Lopes (2003),

Contratar e manter uma boa Assessoria de Comunicação Social é o primeiro passo que toda empresa deve dar para conseguir se posicionar melhor no mercado. Mas só sustentar uma excelente estrutura de comunicação e esquecer de questões básicas, como tratar bem seus funcionários ou manter em dias as suas obrigações trabalhistas e operacionais, pode desestruturar todo o trabalho.

Entretanto, com as empresas acreditando nas estratégias de comunicação e se preocupando com a imagem perante o público, o mercado para os jornalistas expandirá cada vez mais, unindo o útil ao agradável. Esses profissionais poderão utilizar ferramentas do contexto jornalístico para adquirir êxito nas execuções das tarefas e com isso, poderão conseguir resultados positivos e consistentes para a organização.

Os principais instrumentos utilizados pelo assessor de comunicação (jornalista responsável pela assessoria de imprensa) para manter um bom relacionamento entre a instituição e os veículos de comunicação são: os releases, e-mail, fax, telefone, internet, sites, computador, vídeo, áudio, carta pública, mailing list e outros. Porém, estes instrumentos não serão bem aceitos nos veículos se o jornalista não tiver credibilidade e habilidade nas tarefas a serem desenvolvidas.

Como adquirir essas características citadas acima? É o que muitos estudantes e profissionais da área se perguntam! Não será tarefa fácil! Para começar, um bom relacionamento com os colegas de profissão o ajudará, mas lembrando de que deverá separar a amizade dos compromissos profissionais. Bons textos, um primoroso gancho jornalístico, com informações objetivas, claras e correta e assiduidade também farão grande diferença na hora da escolha do assunto a ser pautado pelos veículos.

Contudo, mesmo o assessor de comunicação tendo todas essas habilidades acima, não significa que sua pauta ou seu release serão aceitos pelos veículos e que ele terá sucesso no mercado. Pois, esse mesmo mercado quer um assessor de comunicação que seja multidisciplinar, ou seja, que entenda e ajude o gestor a divulgar os pontos positivos do trabalho realizado na instituição.
Dessa forma, podemos perceber que, realmente, esse “novo caminho” munido de profissionais qualificados e especializados na área de comunicação nas organizações, será uma ótima oportunidade para os jornalistas, os recém formados na área e a empresa assessorada. No entanto, os profissionais dessa área terão que ficar sempre espertos e se especializando cada vez mais, para conseguir continuar inseridos nesse mercado de trabalho, muitas vezes, injusto e cercado pelo jogo de interesses.

Rádio Educadora FM